InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Theodore Pryce (Deméter)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Theodore Pryce

avatar

Masculino Apelido : Theo
Idade : 23
Mensagens : 593

MensagemAssunto: Theodore Pryce (Deméter)   Sab Jun 05, 2010 3:10 pm

Player
  • Nome: Juh
  • Outros personagens: None

    Informações Básicas

  • Nome: Theodore Emmannuel Pryce
  • Apelido: Theo
  • Filho de Deméter
  • Sexo: Masculino
  • Local de Nascimento: Beverly Hills, CA - USA
  • Data de Nascimento: 23/10/1993
  • Estado Civil: Solteiro
  • Sexualidade: Heterossexual.

    Meio-Sangue

  • Poderes especiais: Reproduz “poderes” das plantas
  • Arma Mágica: Nenhuma visto que nunca participou numa missão para poder realmente receber uma.
  • Falha Fatal: Sempre esperar pelo melhor das pessoas, torna-o ingenuo ao ponto de achar que existe bondade em todas as pessoas.

    Família

  • Progenitor Mortal: Collin Pryce nasceu na Inglaterra, numa família não tão humilde sendo que o pai era prefeito da pequena cidadezinha onde morava e a mãe era uma primeira-dama esnobe que, apesar de saber das traições do marido continuava casado mais devido ao seu próprio interesse ao sê-lo do que a outra coisa qualquer. Suas irmãs mais velhas partilhavam com a família o gosto pelo dinheiro e pala fama enquanto que Collin e a sua irmã gémea ficavam estupfactos com o que se passava naquela família.
    Cresceram ambos sendo confidentes um do outro, compreendendo-se de uma maneira que ninguém da sua família alguma vez o poderia fazer. Há medida que iam crescendo iam-se distanciando dos costumes e valores da família que, obviamente, queria que Collin, único rapaz, seguisse a carreira política, sendo que esta não estava nada interessado em satisfazer esse desejo aos pais. Collin sempre gostara de observar a natureza tendo especial curiosidade sobre a maneira como os jardins estavam constituídos. A sua irmã, por outro lado, com um dançarino de rua, começara a apaixonar-se pela dança. Estas eram duas paixões que dificilmente seriam toleradas pelos pais de ambos.
    Quando começaram a frequentar a escola, aos 6 anos, começou a ser notória a habilidade artística de Collin para a pintura. Este, mesmo depois das aulas, ficara horas nos jardins da cidade, desenhando, vendo a sua irmã dançar, imagindo como seria o seu futuro mais tarde.
    Assim, escondido dos pais, aos 10 anos, começou a tirar um curso de pintura, sentindo cada vez mais apaixonado pela arte ao mesmo tempo que ajudava a sua irmã a conseguir ter as tão desejadas aulas de dança. Todos na cidade notavam que ele e Cora estavam bastante desenvolvidos emocionalmente para crianças de 10 anos já que ambos tinham se criado mutuamente, evoluindo e necessitando de crescer mais que outras crianças. Seus pais e irmãs, obviamente, não notavam nada de estranho neles, continuando as conversas enfadonhas sobre como Collin iria dar um grande político, durante o jantar.
    Os anos foram passando até que aos 15 anos seus pais descobriram que ele e Cora estavam a esconder as aulas artísticas que tinham. Nesse dia ambos foram proibidos de fazer qualquer actividade relacionada com o que os pais consideravam uma ‘carreira sem futuro’. Foi nesse dia que Collin começou, realmente a odiar os pais por lhe tirarem a única coisa em que ele era realmente bom mas, apesar de frustrado, teve que obedecer aos pais, deixando totalmente de parte os seus estudos artísticos, começando a interessar-se pelas questões ambientais e florestrais da sociedade para ter, ao menos, algo que o fizesse feliz naquela cidade que naturalmente começara a odiar.
    Passou 3 anos aturando os pais sempre o repreendendo por ter estudado arte, só não explodindo porque tinha planos para o futuro em que precisava que os pais ajudassem embora os planos não incluíssem realmente que os pais soubessem que o ajudavam: esse plano consistia em inscrever-se na faculdade de engenharia ligada á arquitetura paisagista, nos EUA sendo que o que os pais saberiam era que ele estaria cursando politica e, como estava longe, seria no mínimo impossível que eles descubrissem. E assim fez: aos 18 anos, inscreveu-se numa das várias faculdades dos EUA e entrou no curso que pretendia, rumando junto com a irmã para o país desconhecido, dando noticias de longe a longe aos pais apenas para se certificar que eles continuavam pagando as propinas enquanto ele estudava o que queria, pintando e intensificando o seu talento na horas vagas. Quando terminou o curso Collin ligou para os país contando a verdade sobre ele e sobre a irmã e informando-os que nunca mais iria voltar para a Inglaterra, dizendo aos pais que poderiam deserda-lo se quisessem já que, na realidade, nem país tinham sido mesmo para ele e desligou, sem esperar sequer ouvir o que eles tinham para dizer.
    Nunca mais voltou à Inglaterra desde essa altura, não sabendo nada dos pais alem de alguns telefonemas em épocas festivas, apenas por educação já que, apesar de tudo teve uma boa educação.
    Nos EUA foi exercendo o seu curso, arquitectando vários jardins e espaços verdes, associados a uma empresa de quem é um dos sócios. Nas horas livres gere a sua própria galeria de arte, onde expõe seus próprios quadros, maioritariamente baseados na natureza.

  • União:
    Um dia, Colin estava no seu escritório quando recebeu uma visita de uma bela mulher que se apresentou como Aisha. Ele logo se encantou pela mesma, pelo seu interesse pela natureza e como ela lhe pediu para desenhar o seu jardim, tendo plena consciência em como o queria e sendo bem entendedora sobre a matéria. Nessa tarde, passaram o tempo todo conversando, planeando o jardim, falando dos seus próprios interesses, com ela interessada na sua pintura.
    Totalmente inebriado por aquela mulher, Colin anunciou aos empregados que ia sair mais cedo do emprego e levou Aisha até à sua galeria. Novamente ficaram horas discutindo as pinturas, com ela muito interessada no que Colin queria transmitir com cada pincelada que ele dera em cada quadro. Quando notaram, já tinha anoitecido e eles nem tinham consciência à quanto tempo isso fora.
    Prestavelmente, Colin convidou-a para jantar em sua casa e esta aceitou com o sorriso singelo que já o conquistara desde a primeira aparição. Foram para a casa de Colin onde este preparou um simples mas delicioso jantar, que Aisha elogiou o que levou a um agradável jantar agora fugindo para todos os temas possíveis. Quando terminaram o jantar e Aisha se preparava para ir embora, Colin não resistiu e a beijou, ao que ele correspondeu para surpresa e agrado dele. Nessa noite, dormiram juntos.
    Contudo, no dia seguinte, quando acordou, não havia sinal de Aisha. Colin esperou vários dias, tentou ligar-lhe em vão, mas nunca conseguiu localiza-la o que despedaçou o seu coração. Guardou os projectos que tinha feito para ela carinhosamente e tentou esquecer o assunto, obviamente, não tendo grande sucesso.
    Vários meses depois estava Colin em casa quando tocaram á campainha. Quando ele foi abrir, ficou petrificado ao ver Aisha com um bebé nos braços. Deixou-a entrar e esta começou a explicar que se chamava Deméter e era uma deusa. Colin ao inicio achou que era brincadeira, até que ela começou a demonstrar o seu poder e ele acreditou, um pouco assustado. Depois de provar quem era Deméter mostrou-lhe o rapaz, a quem dera o nome de Theodore e disse lhe que Colin tinha que cuidar dele porque ela não o podia fazer. E, com isso, partiu, deixando Colin petrificado com um bebé nos braços, olhando a porta.
    Apesar do choque, Colin amou o filho, cuidando e protegendo-o de tudo. E, com os projectos de Deméter, fez o jardim da sua casa, em homenagem ao que, naquele dia, sentira por ela.

  • Outros parentes:
    Ann-Louise Stevens – Madrastra de Theo. Conheceu o seu pai quando Theo tinha 8 anos e este, inicialmente não gostou muito da ideia de o pai se envolver com uma mulher já que, até ali, tinham sido só os dois. Apesar disso, com o tempo, foi-se afeiçoando a Ann e hoje considera-a quase como uma mãe. Esta é jornalista e conheceu Colin ao entrevista-lo à cerca dos seus projectos paisagísticos.
    Annie Pryce – Irmã de Theo. Tem 5 anos e é o que Theo tem mais saudades no acampamento. Quando ela nasceu, Theo tinha 11 anos e não desgrudava do lado dela. Ao contrario de muitas crianças nunca pensou que a irmã lhe ia tirar alguma atenção mas muito pelo contrario, adorou a ideia de ser irmão.


    Biografia

    Foi criado pelo pai e, apesar deste trabalhar muito nunca sentiu que o pai era ausente, até porque sempre que o pai deixava, Theo ia com ele para o trabalho, ajuda-lo com ideias para os projectos ou apenas ficando lá, brincando mas preferindo assim, já que estava perto do pai.
    Para si, Colin foi sempre um modelo a seguir: desde o facto de ter enfrentado o pai para seguir o seu sonho, até ao facto de o conseguir educar sozinho. Theo apenas tinha pena de não conhecer os avos mas da maneira que o pai falava por vezes, Theo preferiu nunca pedir isso.
    Sua infância foi relativamente calma apesar de ter alguns momentos estranhos que ele não conseguia explicar por ainda não saber que era semi-deus. Tinha poucos amigos, já que já nessa altura era meio tímido e demorava a confiar nas pessoas. Apesar de tudo, os que tinha gostava dele como ele era.
    Aos 8 anos, teve a noticia que o pai arranjara uma namorada, o que deixou Theo confuso, já que ele nunca tinha pensado que isso algum dia poderia acontecer. Quando conheceu Ann não gostou dela porque tinha aquela ideia fixa que ela ia roubar o seu pai de si. Com o passar do tempo e o namoro tornando-se mais sério, Theo foi contactando mais com Ann e notou que ela realmente era uma boa mulher, começando a falar mais com ela, confiar nela e a considera-la o seu modelo feminino da vida. No dia em que o pai casou de novo, Theo tinha 10 anos e ficou muito feliz ao ver a expressão radiante do pai e soube, naquele momento, e sentiu-se mais aliviado por ver que o pai era de novo feliz depois de alguns momentos de tristeza.
    Aos poucos foi-se dando melhor com Ann, considerando-a quase uma mãe para si. Ao receber a noticia que Ann estava grávida, ficou meio hesitante ao inicio mas à medida que o tempo ia passando foi gostando mais da ideia, conversando com a irma dentro da barriga da madrastra, todo animadinho e feliz.
    A sua irmã nasceu quando ele começou a ter sensações estranhas sobre ser perseguido ou observado, o que o assustou um pouco. Desde criança que não era muito de fazer amigos conheceu Lou meses antes de descubrir que era semi-deus, sem saber que ele tinha como o dever de o proteger de todos os monstros que podiam estar interessados nele.
    Aos 11 anos, descubriu que era semi-deus e, com a ajuda de Lou, chegou ao acampamento.


  • Descoberta:
    Tinha 11 anos quando aconteceu. Estava na biblioteca da escola lendo um livro sobre plantas, junto com Lou que lia uma banda desenhada quando sentiu de novo uma sensação de estar a ser observado. Começou a olhar em volta, meio preocupado o que preocupou Lou também. Imediatamente antes de um possivel ataque, Lou arrastou Theo dali, indo até casa dele, pegando algumas roupas, explicando entre palavras que Theo não conseguia compreender ao Colin que tinha que levar Theo ‘para segurança’. Theo ainda lutou para não ter que ir mas só teve tempo de abraçar o pai, a madrasta e a irmã antes de ser arrastado de casa por Lou. Aí, enquanto caminhavam para o acampamento, Lou foi-lhe explicando que Theo era um semi-deus, o que fez Theo rir ao inicio mas, depois, ao pensar no que já tinha feito de estranho sem compreender parou de rir. Chegou em segurança ao acampamento, ainda estupfacto com o que lhe tinham contado mas satisfeito por finalmente perceber o que estava ‘errado’.

  • Vida de Campista: Inicialmente não sabia de que semi-deus era filho e, por essa razão, viveu cerca de seis meses no chalé da Hermes até que finalmente Deméter decidiu revelar-lhe que ele era seu filho. Mudou-se para o chalé da Deméter nessa altura e começou a fazer amizade com os seus irmãos, sentindo-se compreendido naquele ambiente. Nos primeiros anos, só ficava no verão, indo para casa para junto da família durante o resto do ano. Mas, à cerca de uma ano atrás decidiu viver todo o ano na acampamento para poder evoluir melhor o seu poder e se preparar para a vida quando tivesse definitivamente que abandonar o acampamento. Apesar de sentir saudades de casa, adora o acampamento por ter muita natureza e se sente bem nesse ambiente.
  • Vida de Mortal: Só vai a casa em épocas especiais como Natal e alguns dias no Verão. Depois em aniversários da família também costuma ir celebrar, matando ai as saudades que tem deles durante o ano apesar destas visitas sempre lhe saberem a pouco.
  • Missões: Ainda não teve nenhuma missão mas interiormente anseia por uma, apesar de, sempre que lhe perguntar, dizer que apenas está aproveitando para aprender e treinar e quando uma missão chegar estará preparado, nunca respondendo realmente se quer muito uma ou se não.


    Físico


  • Altura: 1,87
  • Peso: 76kg
  • Cor dos Olhos: Castanhos
  • Cor do Cabelo: Castanho
  • Corpo: Alto, meio musculado mas nada de exagerado já que não costuma fazer grande exercício a não ser quando treina ou corre pela praia. Tem a pele morena, devido a passar muito tempo ao ar livre.
  • Vestimenta comum: Normalmente anda descalço ou quando chega em algum lugar tira os sapatos para ter contacto com a natureza. Adora o verão para andar com bermudas e calções e t-shirts e camisetas largas e frescas. Gosta de roupas com tons de terra e verdes, alusivos à natureza.

    Personalidade


    Theo é tímido mas não anti-social. Trata todo o mundo bem e não gosta de confusões, sendo que tenta nunca entrar em conflito com quem quer que seja. É apaixonado pela natureza e pela leitura, gostando bastante de estar rodeado de arvores e flores. Adora todos os seus amigos, fazendo tudo por eles, sem hesitar um segundo. Apesar da timidez, que o faz ficar corado e falar demais em presença de garotas, é divertido, gostando de fazer as pessoas rir e carinhoso, tendo sempre uma palavra reconfortante para todo a gente. É simples e modesto, não dando valor à riqueza mas sim aos sentimentos e à natureza.

  • Gosta/Odeia: O que mais gosta de fazer é de ler, aumentando o seu conhecimento especialmente pelos ‘poderes’ das plantas, para aumentar e treinar o seu próprio poder. Ama a natureza mais que tudo e os seus amigos. Odeia tudo que afecta a natureza, como poluição, abate de arvores, etc.
  • Medo: Cavalos. Apesar de não admitir para ninguém tem medo deles e não consegue chegar muito perto deles.
  • Ponto Fraco: Confia demasiado nas pessoas, não achando que ninguém é mau o que o faz vulnerável a enganadores.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Theodore Pryce (Deméter)
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» COMPROVADO: Aliens São Demônios!
» Pode um Cristão Ser Possuído Por Demônios?
» Aliens são Demônios...
» Hierarquia de Anjos e Demônios
» Você teme a Deus ou ao dIABO e seus dEMÔNIOS?

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Administração :: Controle de Personagens :: Fichas-
Ir para: