InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Madeleine MacLoul (Iris)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Madeleine MacLoul

avatar

Feminino Apelido : Mad, Maddy, Fumiga
Idade : 16
Mensagens : 386

MensagemAssunto: Madeleine MacLoul (Iris)   Sab Out 16, 2010 4:55 am

Player
  • Nome: Alexandra Froument
  • Outros personagens: Zeph Deigher, Tulipy e Achlys Kephner

    Informações Básicas

  • Nome: Madeleine Diggory MacLoul
  • Apelido: Mad, Maddy, Fumiga
  • Filho de Iris
  • Sexo: Feminino
  • Local de Nascimento: Portland, Oregon, EUA
  • Data de Nascimento: 15/05/2001
  • Estado Civil: Solteira

    Meio-Sangue

  • Poderes especiais: Desconhecido
  • Arma Mágica: Nenhuma

    Família

  • Progenitor Mortal: George MacLoul. É um banqueiro. Nasceu em Portland, filho de outro banqueiro, portanto, só seguiu os passos do pai. Sempre foram muito ricos, tendo casas em várias partes do país e até algumas na Europa, ranchos e propriedades que as gêmeas nem sequer conhecem.
    Sua mãe era pintora e morreu quando ele tinha 4 anos, portanto, não se lembra muito dela.
    Seu pai sempre foi muito severo e George sempre queria agradá-lo de todas as formas. Por isso, nunca se metia em confusão, tirava notas excelentes na escola, só namorava garotas ricas, lindas e de famílias influentes, mesmo que já soubesse que era gay desde muito cedo. Não se sentia atraído por aquelas garotas, mas ficava com elas apenas porque o pai jamais admitiria um filho homossexual.
  • União: George conheceu a bela Margareth aos 26 anos. Estava cursando sua segunda faculdade na época, mas estava em férias num dos ranchos do pai. Maggie era a mulher mais linda que ele já tinha visto, mesmo não sendo hétero queria tê-la de qualquer forma, e não foi difícil convencê-la. Em apenas uma noite de amor as gêmeas foram concebidas. Algumas semanas mais tarde, já em Harvard, George encontrou a bela Margareth em frente ao prédio onde teria aulas naquela tarde. A mulher carregava dois bebês em seus braços e, sem que tenha sido dito palavra alguma, entregou-as a ele, sorriu, beijou seus lábios e partiu para nunca mais voltar.
  • Outros parentes: Gary Diggory, marido de George, desenhista.

    Biografia

    As gêmeas foram deixadas nos braços do pai em Harvard. Sem saber o que fazer, George voltou para sua casa em Portland, telefonou para seu namorado (em segredo) na época, Gary Diggory, pedindo ajuda. Os dois, juntos, decidiram registrar e criar as duas meninas. George sabia que teria muito a explicar e que o pai possivelmente o deserdaria, mas não havia outra opção. Ele não poderia abandonar aqueles bebês e sabia que eram suas filhas, mesmo sendo ilógico Margareth ter dado a luz em algumas semanas. Mas ele também sabia que Margareth não era uma mulher comum.
    Dessa forma, deram os nomes de Madeleine e Samaire a elas, as registraram com o sobrenome dos dois e passaram a viver juntos para criá-las.
    Como previsto, o pai de George ao descobrir que o filho era homossexual, jurou nunca mais falar com ele. Nem sequer conheceu as meninas antes de falecer em 2003, deixando toda a sua fortuna e propriedades ao único filho.
    Sammy e Maddy sempre tiveram tudo do bom e do melhor, estudaram em colégios caros da região, mas nunca foram estudantes muito aplicadas. Por causa da dislexia e hiperatividade, acabavam arranjando confusão sempre, até que os pais decidiram interná-las num colégio especial para pessoas com dislexia em Washington DC. Foi ali que elas descobriram, após poucos meses, que eram semi-deusas.

  • Descoberta: Atrás do colégio havia um bosque, parte da propriedade da escola. As gêmeas sempre iam brincar perto do bosque durante as tarde em que não tinham aulas. Numa dessas tardes, ouviram sons dentro do bosque. Ficaram assustadas, mas como são os seres mais curiosos do mundo, resolveram juntas ir descobrir o que tinha provocado aqueles barulhos. Deram as mãos e entraram no bosque. Os sons foram ficando cada vez mais fortes e elas seguiam para encontrá-lo, dando de cara com uma enorme Manticora. O bicho era tão feio que elas gritaram e saíram correndo, mas a Manticora começou a persegui-las. Elas estavam quase sendo alcançadas quando o sátiro Lirius chegou e conseguiu protegê-las e despistar o monstro. As meninas estavam assustadíssimas e no dia seguinte foram retiradas do colégio pelos pais e enviadas ao Acampamento Meio-Sangue com o sátiro.

  • Vida de Campista: Chegou com 8 anos (completando 9 poucos dias depois, no acampamento), com sua irmã gêmea, Samaire. Nos primeiros dias só choravam e queriam ir para casa, mas foram se acostumando com tudo e já saíram falando com todo mundo e dando apelidinhos para todos. Logo se tornaram o xodó de muita gente, ganhando presentinhos e paparicos.

  • Vida de Mortal: As duas não têm muitos amigos, apesar de saírem falando com qualquer pessoa. Os pais são as únicas pessoas com quem elas têm real contato. Falam com eles quase todos os dias e até foram passar uns dias em casa durante as férias de verão.

  • Missões: Nenhuma

    Físico


  • Altura: 1,34m
  • Peso: 28kg
  • Cor dos Olhos: Verdes
  • Cor do Cabelo: Castanhos claros, quase loiros, que parecem raios de sol às vezes
  • Corpo: É toda pequena. Ainda não tem seios ou quadril definidos, tem um corpo totalmente infantil ainda. É baixinha, magrinha e parece que vai sair voando com qualquer vento. Os cabelos são castanhos e lisos, compridos quase até a cintura. Tem bochechas salientes e quase sempre rosadas.
  • Vestimenta comum: Sempre, sempre mesmo, está vestida igual a sua irmã gêmea, Samaire. Às vezes usam cores diferentes e o mesmo modelo da roupa, mas na maior parte do tempo até mesmo a cor é igual. Resolvem juntas quais acessórios vão usar, como cachecóis, pulseiras, brincos, correntes e toucas, pra tudo ficar igual, então, involuntariamente, acabam confundindo as pessoas que as conhecem pouco.

    Personalidade


    Igual a irmã, é muito alegre e serelepe. Hiperativa ao extremo, talvez mais que o normal dos semi-deuses, NUNCA vai ficar sentadinha bonitinha em algum lugar, sempre vai estar se balançando ou mexendo em alguma coisa, ou levantando e sentando e correndo e fuçando alguma coisa. Não para quieta até se dar por satisfeita, mesmo que isso possa resultar em um joelho machucado.
    É bastante inocente, sem maliciar ou ironizar nada nem levar nada pro lado ruim, mas bem esperta pra idade, já sabendo vários "assuntos de adulto" e deixando as pessoas embasbacadas às vezes. É super educadinha, se apresentando, pedindo "por favor" e agradecendo quando fazem algo para ela.
    Tem menos trauma de ler e escrever que a irmã, mas com certeza não chega nem um pouco perto de gostar, por causa da dislexia. Por isso até hoje não lê muito bem e fica retraída quando precisa fazer isso em voz alta ou qualquer coisa assim. Chega a desesperar e começar a chorar só com a menção da palavra "leitura", principalmente porque sua irmã fica assim, logo, ela também.
    Tem um amor extremo pela irmã e uma cumplicidade absurda. São como se fossem uma só. Sam se machuca, Maddy chora. Sam recebe um presente, Maddy fica feliz. Completam o que a outra está dizendo, falam juntas sem ter combinado e muitas vezes nem sequer precisam falar, se entendem apenas com um olhar. Inventam apelidos para todo mundo e nunca esquecem o nome/apelido de ninguém, a não ser que seja algo muito diferente ou complexo.
    Ela e a irmã têm um mundo imaginário que chamam de Mulininho. Vivem citando o Mulininho e seus habitantes fantásticos, como os Bobos (monstros), as Nanas (algo parecido com cavalos gigantes, e por isso elas acharam que sabiam cavalgar), Ikky (um ser bonzinho com "poderes de cura"), Mumu (gatinho fofo amiguinho delas) e etc. Elas realmente pensam que ele existe e não entendem quando alguém estranha, mesmo que tenham noção em sua imaginação que apenas elas tem acesso à ele.

  • Gosta/Odeia: Ela não chega a odiar as coisas, mas com certeza não gosta como verduras, ler e escrever - trauma pela dislexia -, e os "Bobos", monstros, de quem ela morre de medo. Ama explorar junto da irmã. Está sempre querendo desbravar algum lugar, descobrir alguma coisa, adorando colher provas e observar depois. O que lhe dá mais prazer é achar algo perdido e ficar imaginando a história daquele objeto. Adora desenhar também. Como toda criança fica clara a imaginação fértil em seus desenhos, com certeza muitos com o Mulininho presente, além de sua irmã e seus pais. Quando alguns campistas partiram em missão, elas fizeram desenhos para cada um, para que esta forma eles os protegessem.

  • Medo: Tem medo de quase tudo, igual a irmã. Ultimamente, o maior dos medos tem sido dos monstros que perseguiram ela e Sammy até o Acampamento. Elas os chamam de Bobos, por acharem serem iguais aos do Mulininho.

  • Ponto Fraco: A irmã, com certeza. Se algo acontecesse a Sammy, Mad morreria. Prova disto é quando elas simplesmente são separadas por qualquer motivo besta. Maddy se encontrou perdida de Sammy um dia no acampamento e ficou totalmente desnorteada, chorando desesperada por todos os cantos, como se estivesse para perder todo o sentido.




Somos grandes companheiras, como mosqueteiras!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Madeleine MacLoul (Iris)
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Resolvido]tv cce hps2902fs - tela como arco iris
» Modelo atômico de Niels Bohr
» Casos de Possessão
» UFG - Fenômeno ótico
» (PUC - MG) Genética de populações

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Administração :: Controle de Personagens :: Fichas-
Ir para: