InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Helen Díaz (Hefesto)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Helen Díaz

avatar

Feminino Idade : 25
Mensagens : 4040

MensagemAssunto: Helen Díaz (Hefesto)   Ter Fev 23, 2010 8:11 pm

Player
  • Nome: Lara.
  • Outros personagens: Nenhum.

    Informações Básicas

  • Nome: Helen Díaz.
  • Apelido: Não tem.
  • Filho de Hefesto.
  • Sexo: Feminino.
  • Local de Nascimento: Nova Iorque, EUA.
  • Data de Nascimento: 29 de dezembro de 1991.
  • Estado Civil: Solteira.
  • Sexualidade: Heterossexual.

    Meio-Sangue

  • Poderes maiores: Pyrokinesis.
  • Arma Mágica: Uma pulseira que, ao apertar um botão, se transforma em um escudo indestrutível. Presente de Apollyon, forjado por Hefestos e aperfeiçoado algumas vezes pela própria Helen em manutenções.
  • Falha Fatal: Bravura excessiva e falta de medo. Helen não tem medo de nada, e por esse motivo acaba sendo, muitas vezes, inconsequente, podendo acabar encrencada.

    Família

  • Progenitor Mortal: Sua mãe é Christina Díaz, uma historiadora responsável pela área sobre a Grécia antiga no Metropolitan Museum of Art. Especializada em arqueologia e conservação e restauração de objetos antigos, Christina conta aos visitantes do museu a história da Grécia antiga a partir de objetos encontrados e arte antiga.

    Nasceu e viveu até os 10 anos de idade em Guadalajara, no México. Foi levada aos Estados Unidos por seus tios, irmãos de sua mãe, para que pudesse ter um estudo melhor e mais oportunidades. Estudou na Universidade Yale, onde se formou em História e mais tarde fez especializações. Ainda enquanto estudava, conseguiu um emprego de monitora de excursão escolar no museu através de seu professor de Antropologia. Com o tempo, Christine foi se mostrando competente em seu trabalho. O fato de ser muito bonita e ser fluente em espanhol a ajudou bastante.

    Em um certo momento de sua vida, foi notada por alguém especial...

  • União: Orion Dimas se apresentou como um amante de arte antiga e muito interessado no trabalho de Christine. Por duas semanas, foi todos os dias ao museu, até que conseguisse conquistar a confiança da mulher. Convidou-a para discutirem arte antiga durante um jantar, e ela aceitou com facilidade.

    Durante o jantar na casa de Christine, disse-lhe ser Hefesto, Deus das Armas e do Fogo, filho de Hera e Zeus, esposo de Afrodite, a Deusa do Amor e da Beleza. Obviamente que Christine não acreditou. No momento riu, mas não por achar absurdo, e sim por achar engraçado. Entendeu que ele estava fazendo uma graça para ela, sendo divertido. Porém, Hefesto se permaneceu sério, e na próxima olhada que Christine deu nele, viu o mesmo homem de antes, porém tinha algo diferente. Talvez fosse a aura dele. Mas de repente ele emanava uma divindade e um ar de respeito que fez Christine ficar boquiaberta e confusa.

    Vendo que ela ficara sem reação, Hefesto tentou ser simpático e lhe disse que o futuro filho dos dois seria muito nobre e forte, e que ele teria muito orgulho da criança. Logo a surpresa de Christine passou. Ela entendia o que estava acontecendo ali, sabia muito sobre mitologia. Mas não imaginou que fosse real.

    O deus e a mortal passaram aquela noite juntos, e Christine só teve novas notícias do deus Hefesto 6 meses depois, quando um bilhete surgiu debaixo de sua porta, dizendo que ela parecia muito bonita com aquela barriga, e que a menina que crescia ali seria muito especial.

    Christine só voltou a ver Hefesto quando a criança nasceu. Com medo do que poderia acontecer à criança por ser um semi-deus, implorou a Hefesto que a mantivesse segura, e ela jamais pediria nada dele. Ele disse que nada podia fazer, mas que a menina saberia se virar.

    Hefesto e Christine não se afastaram totalmente. Uma ou duas vezes por ano, sem aviso prévio, o deus ia até Christine afim de passar o tempo fazendo algo diferente do que sempre fez. Hefesto sempre vinha com novas histórias para Christine, preenchendo lacunas em seus estudos sobre a cultura grega antiga a partir dos objetvos que ela achava e expunha no museu.

  • Outros parentes: Seu padastro Jackson Berr. Christine se casou com ele quando Helen ainda tinha 9 anos. Helen se dá muito bem com o padrasto, mas não consegue enxergá-lo como pai, e sim apenas como um bom amigo. Jackson já tinha uma filha, Maureen Berr, na época com 2 anos. Tendo Jackson contado que a mãe de Maureen morreu, a menina foi legalmente adotada por Christine. Maureen vê Helen como sua verdadeira irmã e heroína que sempre irá lhe proteger de tudo.

    Biografia

    Foi nomeada Helen Díaz. Tal nome lhe foi escolhido por em grego significar Tocha, uma referência ao fogo. Christine deu esse nome a filha como uma homenagem ao pai da criança. Helen nunca foi exatamente uma criança problemática. Era comportada, educada. Mas o universo parecia conspirar contra ela e fazê-la estar sempre no lugar errado no momento errado. Tudo de ruim acontecia quando ela estava por perto, e a culpa era sempre dela.

    Não lhe era dado muito crédito também porque Helen nunca foi a mais inteligente da escola, estava bastante longe disso. Não tinha interesse e nem conseguia aprender. Repetiu de ano algumas vezes, era sempre a mais velha da turma. Quando não era expulsa da escola por ir mal demais nas matérias, era expulsa porque alguém sempre se machucava ou algo quebrava perto dela. Helen queria desistir da escola, mas sua mãe jamais permitiu.

    Apesar disso, fazia amigos pelas escolas que passava e os meninos de seu bairro a idolatravam por ela ser mais destemida e mais forte que vários deles juntos. Gostava também de defender os mais fracos, então um terceiro motivo por suas expulsões era por arranjar brigas feias com os garotos que abusavam dos mais novos na escola. Helen não conseguia controlar sua vontade de enfiar a cabeça deles dentro da privada e obrigá-los a devolver todo o dinheiro e lanche roubado.

    Nas férias entre seus 11 e 12 anos, Helen quis por livre e espontânea vontade passar o tempo livre no Acampamento. Após uma longa conversa com sua mãe e promessas de que ia se cuidar e tentar não se meter em encrencas, Helen pegou um ônibus e desceu no Acampamento. Passou todas as suas férias lá, sempre gostando muito, até que aos 16 anos conseguiu convencer sua mãe de que era melhor largar a escola e permanecer o ano todo no lá.

  • Descoberta: Sua mãe sempre lhe contou a história de Hefesto, mesmo quando Helen não tinha idade para entender o que aquilo significava. Então Helen sempre soube sua origem.

    Além disso, algumas vezes foi perseguida e atacada por cães demoníacos. Lutou contra eles todas as vezes e os venceu. Imaginava que era por causa de um canil sinistro que havia perto de sua casa. Porém, usou desses ataques como argumento para sua mãe para convencê-la a deixar que Helen ficasse o ano todo no Acampamento.

  • Vida de Campista: Antes Helen ia apenas nas férias. Porém, desde os 16 anos que ela fica durante o ano todo, estuda lá e treina lá. Helen vê como um internato divertido e muito melhor que a escola.

    Não demorou muito para fazer amizades por lá, principalmente com seus irmãos. Todos perceberam que Helen não falava muito de sua vida e gostava de ficar sozinha, mas ainda assim as relações deram muito certo. Helen teve problemas de início com regras e horários, mas tentou relevar a se adaptar. Por gostar muito de andar por aí a noite, sofreu no início tendo que ficar no chalé após a meia noite. Mas logo compreendeu, e não era burra o suficiente para se sujeitar às Hárpias.

    Muitas coisas aconteceram, missões, deuses raivosos e a revolta dos cupidos. Helen fez amizades, e felizmente nenhuma inimizade, mesmo que algumas pessoas a irritem só pelo fato de existir. Golden foi sempre sua amiga mais próxima, e com o tempo fez amizade com Apollyon, com quem teve algo que Helen jamais conseguirá definir, só consegue afirmar que tem sentimentos fortes por ele, mesmo que não seja muito do tipo dela sair admitindo isso por aí.

    Acabou também se aproximando de Dita, porque Helen prometeu a si mesma jamais deixar que relacionamentos ou coisas do tipo se coloquem como barreiras em amizades.

    Depois de tudo o que já passou, hoje é feliz sendo instrutora no acampamento, ajudando os menores egressos a serem fortes para as missões que enfrentarão.

  • Vida de Mortal: No começo, Helen ficava por lá por gostar muito do acampamento e dos treinamentos, achava mais seguro lá, e sua mãe sempre foi uma pessoa ocupada. E justamente por gostar do ambiente, hoje Helen se tornou instrutora. Quando achava que teria que ir embora, planejava tentar a vida em uma fazenda no interior, adestrando cavalos.

    Pouco tempo depois de todos voltarem da última e maior missão, Helen estava aceitando seu posto de Instrutora na modalidade de Luta Corporal, quando recebeu a notícia de que sua mãe, seu padrasto e sua irmã Maureen sofreram um acidente de carro, do qual apenas Maureen saiu viva e felizmente com alguns arranhões somente. Após o choque inicial, os enterros e algumas questões legais a resolver, Helen preparou-se então para renunciar ao posto no acampamento, pois voltaria para Nova Iorque a fim de cuidar de sua irmã, pois ela não poderia ficar sozinha, tendo apenas 13 anos. Foi em meio a esses acontecimentos que a revelação veio e Maureen se mostrou uma meio-sangue. Como Maureen tinha apenas 2 anos quando foi para sua casa, Helen imaginou que seu padrasto escondera esse tempo todo a real identidade da mãe biológica da irmã. Dessa forma, levou-a para o acampamento para viverem juntas lá. Venderam a casa de Nova Iorque e Maureen guarda a pensão que ganha pela morte dos pais para uma futura faculdade.

  • Missões: Com apenas dois anos frequentando o acampamento, e mesmo que só nos verões, Helen foi chamada por um amigo campista para participar de uma missão que consistia em acabar com todas as Granjas de Hippalektryo, um exército a serviço de um semi-deus filho de Ares, em busca de dominar os Estados Unidos.

    Localizaram uma das Granjas no Grand Canyon. Coincidentemente havia uma família lá, exploradores, e estavam sendo atacados. Os três semi-deuses venceram facilmente as galinhas sem nem suar. Surpreenderam-se quando as duas mulheres agradeceram se referindo aos monstros como galinhas, e foi quando descobriram que a menina Jessica Sandsmark era um semi-deus.

    Voltaram para o acampamento e relataram o acontecido, antes de continuar sua busca às Granjas. Dois dias depois Jessica foi resgatada para o acampamento.

    Helen também participou de outras missões, uma delas como lider, em busca de Hêdonê. Uma das missões que mais marcou Helen foi a do Reino de Loki.

    Físico


  • Altura: 1,79m.
  • Peso: 69kg.
  • Cor dos Olhos: Castanhos.
  • Cor do Cabelo: Castanhos.
  • Corpo: É magra, sem muito peito ou muita bunda, mas tem um corpo bem malhado e forte.
  • Vestimenta comum: É do tipo que pega a primeira roupa que vê pela frente e não se importa se estiverem sujas ou rasgadas. Geralmente se contenta com calça jeans e alguma blusa de alça. É bem calorenta, não gosta de roupas que a cubram demais. É bem comum vê-la descalça ou de chinelo. Usa cuturnos, apesar de achar muito quente, quando vai andar a cavalo ou se embrenhar no mato.

    Personalidade


    É leal a todos os amigos e não tem medo de nada. Não se preocupa muito com os estudos, seu déficit de atenção a atrapalha suficiente para que ela perca qualquer paciência de aprender algo muito complexo. Helen age muito mais por instinto e impulsos que por raciocínio. Tem problemas em admitir os próprios sentimentos e se acha autosuficiente para não precisar de ninguém para nada, mas não costuma recusar ajuda ou companhia dos amigos.

  • Gosta: Adora praia, adora cavalos, adora floresta, adora a noite e adora filmes bobos de sessão da tarde. Gosta muito de criar pequenos brinquedos ou instrumentos para os outros, principalmente usando madeira. E adora leite, Helen precisa beber todos os dias ao menos um ou dois copos. E adora maçãs.
  • Odeia: Odeia se sentir presa, odeia toques de recolher e odeia roupas de frio. Mesmo no inverno, ela se aquece com o próprio poder de fogo para não precisar das roupas quentes. Odeia cobertas para dormir. E odeia dormir cedo. E acordar cedo. Não exatamente odeia aparelhos eletrônicos, mas se irrita por não conseguir usá-los. Pode consertá-los de forma intuitiva, como computadores. Qualquer computador ela pode consertar se for em questão física. Mas não sabe usar, não consegue aprender e odeia quando precisa para alguma coisa.
  • Medo: Além da Acrofobia, que é involuntário para os filhos de Hefesto, Helen não tem medo de nada. É destemida e nunca pensa que irá se machucar ou sofrer.

    Círculo de Contatos


  • Amigos:
    • Golden: A consideria sua melhor amiga, se Helen fosse escolher um título. Já estiveram em missões juntas, e normalmente se dão bem. Helen não saberia dizer como e quando começou, elas simplesmente se aproximaram.
    • Natalie: É quem Helen diria ser a pessoa mais parecida com ela. Costumam se entender mutuamente e são boa companhia uma para a outra.
    • Dita: O relacionamento não começou muito bem, sempre se cutucaram e trocaram alguns xingamentos. Talvez por ciúme de Apollyon, mas Helen jamais admitiria. Com o tempo, acabaram se aproximando, talvez por culpa de Apollyon mesmo, e um pouco pela Natalie, e acabaram se tornando boas amigas, mesmo que de vez em quando ainda troquem agulhadas. Helen a considera muito e faria muito por ela.
    • Thomas: É seu irmão Hefesto. Helen gosta muito dele, como se fossem irmãos de pai e mãe, e foi ele que a ajudou a se adaptar no começo de tudo, e ele que sempre esteve lá quando Helen precisou. Considera Thomas sua família tanto quanto sua mãe e irmazinha humanas.

  • Relacionamentos: Seu único relacionamento verdadeiro no acampamento foi Apollyon. Teve um relacionamento com um filho de Dionísio, mas muito rápido, e ele já não está mais no acampamento. Com Apollyon também nunca foi nada sério ou oficial, mas foi a primeira vez que Helen sentiu algo diferente do que já sentiu por qualquer outra pessoa. Ainda gosta muito dele, mas ela tenta evitar achando que vai sofrer por algo que nunca vai poder ter só para ela.


Atributos


  • Força - 5
  • Velocidade - 3
  • Destreza - 3
  • Vitalidade - 4
  • Inteligência - 2
  • Raciocínio - 3
  • Sedução - 2
  • Arma Branca - 3 - Especializou-se em seu próprio poder, e pode atirar bolas de fogo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Helen Díaz (Hefesto)
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» A Verdade 11/09 - O Falso Ataque as Torres...
» Helen G Writte e os ensinamentos de demonios
» Redação - Desigualdade entre gêneros

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Administração :: Controle de Personagens :: Fichas-
Ir para: