InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Maryanne Smith (Hefesto)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Maryanne Smith

avatar

Feminino Apelido : Mary
Idade : 22
Mensagens : 4470

MensagemAssunto: Maryanne Smith (Hefesto)   Ter Abr 13, 2010 11:30 pm

Player
  • Nome: Nathália Lunz - Meg
  • Outros personagens: xxx

    Informações Básicas

  • Nome: Maryanne Smith
  • Apelido: Mary
  • Filho de: Hefesto
  • Sexo: Feminino
  • Local de Nascimento: Fazenda Smith - Kansas - EUA
  • Data de Nascimento: 06/06/1995
  • Estado Civil: Solteira

    Meio-Sangue

  • Poderes especiais: Conserta qualquer coisa com apenas um toque
  • Arma Mágica: Nenhuma.

    Família

  • Progenitor Mortal: Christine Smith
    Nasceu no dia 05 de junho de 1968, na casa grande da fazenda em que seus pais moravam. O parto normal durou várias horas e desgastou Martha ao máximo. Christine nasceu negra como o pai, com olhos esverdeados da mãe. Cresceu na fazenda correndo e brincando entre as plantações e a criação de búfalos.

    Aos 5 anos seus pais notaram dificuldade em aprendizado. Christine demorava para reconhecer as letras, não conseguia desenhá-las e tão pouco parava quieta de frente à televisão. O problema foi notado mais agravado quando ela não reconhecia as pessoas numa distância mediana. Após consultas e exames médicos, foi diagnosticada uma doença degenerativa nos olhos de Christine.

    Durante a adolescência ela conviveu com adaptações na casa, aulas de braile, mesmo após o choque, os pais fizeram de tudo para que ela pudesse ter uma vida normal dentro da fazenda. Os momentos fora da fazenda ficaram cada vez menos frquentes, até que ela se viu com uma dama de companhia e uma professora que a ensinava como lidar com a cegueira gradual.

    Sua cegueira atingiu o nível máximo aos 23 anos. Christine dormiu a última noite do ano e quando acordou, não via o pouco de luz que havia lhe restado. Ela respirou fundo, apertou os lençóis e se levantou, encarando a realidade. Sentia como se até então havia estudado para a vida realmente.

  • União: Christine tinha 25 anos e estava na varanda da casa grande lendo um livro, quando ouviu a voz de Hefesto pela primeira vez. Seu pai estava modernizando a fazenda e pretendia mudar todo o maquinário, mas precisava da ajuda de alguém. Ouviu falar do novo 'Senhor Doutor de máquinas' que havia chego na cidade a pouco tempo. Fez o convite e o rapaz aparecera no dia e hora marcados.

    Ele se aproximou da casa acompanhado de um dos empregados que o anunciou. Em geral, Christine não se envolvia com os negócios da família, mas sentiu o olhar do rapaz queimar-lhe a pele. Foi um convite para um cumprimento. Ao ouvir sua voz, imediatamente Christine sentiu um calor percorrer pelo corpo. Era como se aquele homem transmitisse o calor do sol para ela. Ele apenas sorriu contido, sem saber que ela não poderia o ver.

    Aos poucos, Hefesto, que havia se apresentado como Frederick Owen, passou a frequentar a casa do patrão. Sempre apresentando relatórios, idéias e planos para a modernização da fazenda. Hefesto ganhou um chalé na fazenda, para que se acomodasse melhor, mas fazia as refeições com a família. Durante os momentos entre as refeições, Hefesto e Christine conversavam tranquilamente, sobre diversos assuntos. Ela não se espantou quando ele dissera que era manco, ele deixou que ela o tocasse a face quando soube que ela era cega.

    A simplicidade e a beleza rústica de Christine encantou o Deus que ficou mais do que era planejado. Depois de 2 meses trabalhando na fazenda, o casal se encontrava às escondidas no final de tarde, apenas para passar algum tempo juntos, sozinhos e sossegados em comunhão com a natureza.

    Esse romance frutificou na pequena Maryanne. Quando soube que estava grávida, não pode contar para Hefesto. O rapaz não estava mais na fazenda naquela manhã. Havia sumido tão rápido e de repente quanto apareceu. Seus pais não ficaram chocados com a notícia, pois sabiam do romance escondido dos dois e apoiaram a filha durante a gestação.

    Aos 3 meses de gestação, Hefesto reapareceu na fazenda, tão subtamente quanto das outras vezes. Não fora bem recebido por Christine nem por seus pais que estavam magoados e decepcionados com a postura dele. Hefesto insistiu em conversar em particular com Christine até que por fim ela cedeu.

    Na conversa em particular, Hefesto contou quem era e como eram suas responsabilidades. Obviamente Christine não acreditou na história contada. Somente após algumas demonstrações e argumentos foi que a moça acreditou no que estava sendo contado.

    Hefesto explicou para Christine a situação da filha deles. Ela seria uma semi-deusa e precisaria de cuidados. Falou-lhe dos monstros, dos perigos e de como era preciso que a menina fosse para o acampamento. Garantiu que no tempo certo uma equipe do acampamento faria a travessia de Maryanne até o acampamento, quando ela estivesse pronta.

    O tempo passou, Hefesto e Christine não se relacionavam mais. Ela não se casou, passou a viver em função da filha e da fazenda, esperando que no aniversário das duas, sempre que possível, ele as visitasse.

  • Outros parentes: Martha e Josapha Smith
    Avós maternos de Maryanne, apesar de amorosos e carinhosos, passaram pouco tempo com a neta. Apoiaram de todas as formas a gestação e infância, mas já não aceitavam o relacionamento de Christine e Hefesto, por isso tentavam ao máximo não influenciar na criação da menina.

    Biografia

    Nasceu também na fazenda, no dia seguinte ao aniversário da sua mãe, isso deu a elas uma ligação mais forte do que o normal. Assim que pôde, recuperada do parto, Christine levou a filha para consultas médicas, procurando qualquer doença que a menina pudesse ter herdado. No primeiro momento, os médicos a consideravam completamente saudável.

    Demorou para que o pai a visitasse. O encontrou aconteceu apenas no aniversário de um ano da menina. Maryanne era uma menina maior, mais forte e mais esperta do que as demais. Começou a andar mais cedo, logo corria pela casa, falava com todos os empregados e a babá não dava conta da energia que a menina tinha.

    Sempre atenta à saúde da filha, Christine acompanhava os progressos, pedia que os avós e a babá analisassem o que ela nao podia e durante toda a infância, Maryanne fora assistida por um batalhão de adultos. Seu único refúgio era a casa da árvore dada de presente pelo seu pai. Considerava lá sua fortaleza e sempre que tentava ou precisava ficar sozinha, fugia para lá.

    Como a mãe, os primeiros sinais de cegueira foram notados aos 5 anos. Isso fez com que toda a família ficasse atenta e ainda mais alerta aos sumiços de Maryanne. Christine ficava apavorada com a idéia de que algum monstro pudesse atacar sua filha. Logo que pôde, Hefesto visitou as duas e após uma longa conversa cheia de convencimentos, saiu dali determinado a providenciar a ida da filha para o Acampamento Meio-Sangue.

  • Descoberta: Para Maryanne era natural ver o pai apenas no seu aniversário, quando este levava presentes engenhosos e exclusivos. Quando perguntava o porque da ausência do pai, sempre tinha como resposta "Ele é um homem muito ocupado e possui muitos filhos". Isso não causava tristeza em Maryanne, na verdade ela gostava da idéia de ter outros irmãos expalhados pelo mundo.

    A menina descobriu que teria uma vida diferente quando começou as aulas de braile e o treinamento para a vida que enfrentaria. Mesmo que com uma cegueira muito mais lenta do que a mãe, Maryanne passava quase o dia inteiro aprendendo a se adaptar.

    Aos sete anos, quando já nao era mais seguro que a menina ficasse na fazenda e já poderia viver longe da família, Christine contou-lhe sobre um lugar onte ela encontraria seus irmãos e viveria sempre sendo vigiada pelo seu pai. Contou de forma bem infantil histórias sobre deuses. semi-deuses e monstros, para que a filha entendesse como era necessário. Ser uma heroína como as da tv animou a menina. A separação foi difícil, durante o ano inteiro Maryanne chorava e algumas vezes tinha crises por não querer se separar da mãe.

    O dia da despedida foi talvez o dia mais triste da vida de Mary. Mesmo com 8 anos, ela ainda se lembra com clareza dos momentos, da viagem perigosa e de como no meio do caminho pararam para resgatar outra heroína.


  • Vida de Campista: Os primeiros meses no acampamento foram especialmente difíceis para Mary. Ela era apenas uma criança de 8 anos, afastada da mãe e inserida num mundo completamente novo, que ela só acompanhava pela televisão. Foi direto para o chalé de Hefesto, sem precisar passar pelo chalé de Hermes. Com a ajuda dos irmãos aos poucos começou a se sentir em casa.

    Participava sempre de todos os treinos. Tinha mais dificuldade com arco-e-flecha, por não conseguir fazer a mira, mas não desistia. Descobriu aos poucos como utilizar seus outros sentidos nos treinamentos. Apurou principalmente a audição e o tato. Concentra-se no barulho que as pessoas fazem para se locomover e raramente erra a posição de alguém. Pode notar os sentimentos através do tom de voz da pessoa com quem conversa.


  • Vida de Mortal: Todo ano, passa o aniversário da mãe e o seu, em Kansas.
  • Missões: Não teve nenhuma.

    Físico


  • Altura: 1,75m
  • Peso: 65kgs
  • Cor dos Olhos: Verdes
  • Cor do Cabelo: Preto
  • Corpo: Cabelos grandes e crespos, quase sempre presos. Olhos redondos, verdes, expressivos. Mãos longas e calejadas. Braços e pernas longos, musculosos e fortes. Queixo levemente pontiagudo. Chega a ser considerada magricela entre os filhos de Hefesto, mas é mais corpulenta do que uma menina da sua idade. Lábios carnudos em formato de coração.
  • Vestimenta comum: Usa quase sempre roupas jeans, de couro ou grossas, pra poder lidar com as forjas. Mesmo quando não é dia de trabalhar na oficina, prefere calças, tênis e casaco jeans.

    Personalidade


    É absolutamente tranquila, doce e meiga. Faz movimentos curtos, está sempre arrumando, consertando, cuidando das coisas. Não possui inimigos pessoais. Determinada, perfeccionista, obestinada, chega a ser teimosa. Faz várias coisas ao mesmo tempo. Independente. Feliz.

  • Gosta/Odeia: Ama ouvir música, está sempre cantarolando. Odeia que sintam pena dela, pela sua condição.
  • Medo: Se perder na floresta do acampamento.
  • Ponto Fraco: Atualmente possui 60% da visão total.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Maryanne Smith (Hefesto)
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Adam Smith
» Diário dos Sonhos Lúcidos de TapaNaPantera

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Administração :: Controle de Personagens :: Fichas-
Ir para: